Os 5 melhores momentos de Ayrton Senna

Os 5 melhores momentos de Ayrton Senna

Ayrton Senna foi muito mais do que apenas um piloto de F1. Indiscutivelmente ele é considerado o maior piloto de F1 da história. Embora Senna tenha perdido a vida em um acidente de corrida trágica em 1994, ele continua sendo uma lenda, um ícone e um herói nacional.

Senna chegou ao auge durante o que muitos consideram ser a última grande era da Fórmula 1 – um momento em que os carros corriam com motores ridiculamente poderoso e sem nenhum ajuste feito por computadores. Mas o controle de Senna sobre esses carros de corrida foi incomparável.Mais de seus 10 anos de carreira na F1, Senna ganhou três campeonatos mundiais, tinha 81 pódios, com 41 vitórias e 65 pole positions. Em termos de capacidade de condução, Senna era um deus entre os homens e parafraseando Jeremy Clarkson, enquanto os outros pilotos da F1 exibem momentos ocasionais de grandeza, Senna era grande cada vez que ele ficou atrás do volante.

Mas Senna era mais do que um piloto de corridas, ele era um filantropo e um embaixador cultural de seu Brasil. Ele era um homem que, silenciosamente, doou milhões para instituições de caridade brasileiras que realmente precisavam de assistência. Sem dúvida ele realmente amava seu país e queria torná-lo um lugar melhor. Senna queria assumir um papel mais ativo, e criar a sua própria instituição, com foco em ajudar a educar as crianças do Brasil. Infelizmente ele não pôde ver  nascer o  Instituto Ayrton Senna, um belíssimo trabalho que sua irmã – Viviane Senna – deu continuidade ao seu sonho.

Sortudo são aqueles, como eu, que puderam ver Senna alegrar as nossas manhãs de domingo. Na pista Senna deixou muitas lembranças geniais. Separei 5 desses momentos mágicos:

5. A estréia de Senna em Monaco – 1984

Primeiro ano de Senna na Fórmula 1, não era considerado a principio uma ameaça. Assinou com a equipe Toleman, considerado por muitos como uma equipe de segunda categoria. Senna fez algumas primeiras corridas sem muito destaque, mas foi a corrida em Mônaco, onde Senna se tornou uma estrela.

Qualificado em 13, Senna não tinha qualquer chance de vencer, ainda mais quando as primeiras gotas de chuva começaram a bater no asfalto. Mas Senna prosperou nestas condições, revelando um domínio de seu carro sobre-humano, passando carros em condições impossíveis, e ganhando um inacreditável três segundos por volta em cima do líder Alain Prost. Como Senna estava prestes a assumir a liderança, os organizadores decidiram cancelar a corrida - oficialmente, devido a preocupaçõesde segurança, embora fosse porque eles não queriam Prost perdesse. Senna conseguiu seu primeiro pódio na F1 - o primeiro de 81 em sua carreira de 10 anos.

4. Senna vs Prost

Uma das maiores rivalidades da história da F1, se não de todos os esportes. Durante a temporada de 1989, ambos os pilotos estavam na disputa pelo campeonato de pilotos. A batalha estava próximo e, no momento em que os dois pilotos chegaram ao circuito de Suzuka, no Japão, Senna precisava vencer para ter uma chance pelo título. Prost venceria desde que Senna não terminasse a corrida.

Senna era um piloto sem escrúpulos. Ele tomaria uma linha e passaria se ele visse alguma abertura. E ele viu, porém Prost antes que Senna o ultrapassasse, jogou o carro em cima dele, tirando os dois do circuito. Com Senna, aparentemente, fora da disputa pelo campeonato, Prost saiu de seu carro para ser rebocado e sentou-se. Senna, que nunca admitiu perder, trabalhou para que seu carro funcionasse novamente. Depois de passar por um pit stop para substituir o que foi danificado, Senna re-entrou na corrida, agora bem atrás em segundo lugar, com apenas cinco voltas do final. Para a maioria dos pilotos, uma vitória seria impossível.

Senna, é claro, não era igual a maioria dos pilotos. Ele recuperou a liderança na volta 51 de 53 e ganhou a corrida. Prost, no entanto, protestou a reentrada de Senna. Como tinha uma relação muito próxima com o chefe da F1, que também era Francês, Senna foi desclassificado e a vitória do campeonato ficou para Alain Prost.

3. A revanche de Senna

No ano seguinte – 1990 – em Suzuka a história se repetia. Mas dessa vez se Prost não completasse a corrida o vencedor do campeonato seria Senna. Prost havia saído da McLaren por não ter uma relação não muito amigável com seu maior rival e aliou-se a Ferrari. Senna permaneceu na McLaren.

Senna conseguiu se qualificar na pole position, com Prost em segundo. Mas devido à política, Prost levou a melhor posição no grid de largada, colocando Senna em grande desvantagem, na parte suja da pista. No entanto, assim como com qualquer outra corrida, Senna tinha o seu traçado, independentemente de onde os outros pilotos estavam.

Prost conseguiu uma ligeira vantagem no começo, mas na primeira curva da corrida, Senna manteve na sua linha, e ambos os carros colidiram, tirando ambos da corrida. Prost saiu muito irritado com Senna, e Senna saiu com seu segundo campeonato mundial.

2. A vitória de Senna no Brasil – 1991

Apesar de muitas vitórias de Senna na Fórmula 1, foi somente em 1991 que ele iria ganhar uma corrida de F1 em seu país de origem, o Brasil. Ele já era considerado um herói e para ele uma vitória em casa era um sonho. E no Grand Prix do Brasil de 91, com dois campeonatos mundiais, seguidos, Senna estava prestes a tornar o seu sonho e de uma nação em realidade.

Essa corrida deveria ter sido uma vitória fácil para Senna. Ele partiu da pole position e manteve uma vantagem confortável para a maioria dos outros competidores. Sessenta voltas para a corrida acabar de 67 voltas, começou a chover. Senna prosperou na chuva, então, novamente, a vitória deveria ter sido ainda mais fácil. Mas então seu carro quebrou.

A McLaren de Senna não quebrou completamente, sua transmissão ficou presa na sexta marcha, que para qualquer outro piloto tornaria um carro sem condições de dirigir. Mas como foi dito anteriormente, Senna tinha um talento especial para a realização do impossível, quando se tratava de um carro de F1.

Determinado a não perder em casa, Senna desafiou os seus limites físicos para manter o carro até o final da corrida. Ele conseguiu liderar a corrida do início ao fim, mas seu corpo estava tão fisicamente desgastado, que ele não conseguia nem se mexer e sequer ser tocado. No entanto ele encontrou um último pedaço de força para levantar o seu troféu e compartilhar sua vitória com o Brasil.

1. Senna desce do carro para ajudar Comas

Erik Comas piloto francês teve uma colisão ​​durante as sessões de qualificação para o Grande Prêmio da Bélgica 1992. Em um esporte onde cada homem é, literalmente, por si mesmo, o mais esperado era que os pilotos somente desviassem dos pedaços quebrados da Renault de Comas e continuassem suas tentativas de estabelecer um tempo mais rápido de qualificação. Mas não Senna.

Senna, não estava muito atrás Comas e foi o primeiro a chegar à cena do acidente. E por preocupação com o seu companheiro, estacionou sua McLaren e saiu correndo para a pista. Pode parecer estranho esse momento estar em número 1 dessa lista – especialmente devido ao legado de corridas de Senna - sentimos que este pequeno gesto mostra que, enquanto Senna foi um grande piloto, ele era um homem ainda melhor.

Fonte: AskMen

Leandro Menna

Sócio Fundador da Brave Menswear e diretor de criação. Apaixonado por música eletrônica e por viagens.